fev. 10, 2016
Tamy

Filmes e documentários para quem ama viajar

Adora viajar e está planejando o próximo roteiro? Precisa economizar para a viagem e não pode sair com os amigos? O Netflix tem ótimas opções para os viajantes aproveitarem os momentos em casa para aprender um pouco sobre a cultura, costumes e até os golpes do próximo destino.

Passaporte – ops – controle remoto na mão e venha comigo!

O Mundo Segundo os Brasileiros

Em episódios de 50 minutos de duração, “O Mundo Segundo os Brasileiros” é um reality show inspirado no argentino “Clase Turista” que mostra destinos no mundo todo sob a ótica de brasileiros que vivem nesses países.

Originalmente o programa é transmitido pela Band e o Netflix tem apenas uma temporada disponível. Mas vale a pena assistir e sonhar com as próximas viagens. Graças ao programa incluí Malta, Marrocos e Panamá em minha lista de desejos :)

O interessante é que cada pessoa retrata o país com um ponto de vista, então há opções para todos os gostos. Também é bacana rever depois de viajar! Vi algumas pessoas e lugares que visitei, foi muito bacana!

Capitais do Delito

O nome já anuncia: ele não é tão lindo e convidativo quanto os tradicionais programas de turismo. 😛 Mas vale a pena assistir um pouco de Capitais do Delito antes de viajar. Nele esse moço bonito aí de baixo, o Conor Woodman, viaja em busca dos principais golpes em destinos turísticos famosos.

Quem pensa que golpes e pessoas tentando tirar vantagem de uma situação são exclusividade brasileira, precisa assistir alguns episódios. E claro, se o seu próximo destino está na lista, não custa prevenir né?!

Diários de Motocicleta

Esse é para quem está planejar viajar pela América Latina. Apaixone-se com o jovem Che Guevara e seu amigo Alberto Granado em uma aventura sobre duas rodas pela Argentina, Chile, Peru, Colômbia e Venezuela.

Recomendo principalmente para quem pretende visitar Machu Picchu. É muito legal subir ao Intipunku (Portal do Sol) e apreciar a primeira vista da cidade que eles tiveram ao chegar.

A direção é do brasileiro Walter Salles e a canção Al otro lado del río de Jorge Drexler ( <3 ) venceu o Oscar em 2005.

Na Natureza Selvagem

ama viajar

Já pensou em largar tudo e fazer um mochilão por aí? Foi isso que Christopher McCandless fez ao terminar a faculdade. Ele viaja pelos EUA e pelo México até chegar ao Alasca.

Ao som de Eddie Vedder e com paisagens de tirar o fôlego, você acompanha a trajetória e o destino de Christopher nesse filme biográfico emocionante que dá vontade de colocar a mochila nas costas e sair por aí :)

Adora viajar e tem dicas imperdíveis para quem está se planejando? Deixe nos comentários. Vamos adorar sua colaboração! :)

fev. 4, 2016
Tamy

Look do dia: ciganismos

Um post lá de outubro de 2014 já avisava: a inspiração cigana e a moda tinham dado as mãos e caminhariam juntas por um bom tempo. Demorou, mas agora quem quiser colocar os ombros de fora ou balançar penduricalhos mil, consegue roupas e acessórios sem dificuldades.

Apesar de gostar do gypsy, rendas e saias românticas não fazem tanto o meu estilo. Mas esse colete todo bordado com moedinhas conquistou meu coração, quando a coleção de primavera ainda estava chegando às lojas. Como ele custava muito caro, pedi que me esperasse, pois voltaria em um momento melhor. Janeiro e suas liquidações colocaram o colete no meu caminho novamente e nossos destinos se cruzaram por um preço 4x menor. 😛

gipsy stye

ciganismo

E assim vivemos felizes em um verão com atípicos 22ºC de temperatura <3

Look 007/2016:

• Colete Zara
• Macacão Youcom
• Relógio Casio e pulseiras que ganhei da Giane <3
• Lenço Accessorize
• Tamanco Renner

fev. 3, 2016
Tamy

Review: hidratante Pernas Renovadas Anticelulite NIVEA

Com textura leve e fórmula com L-Carnitina, cafeína e coenzina Q10, o hidratante anticelulite da NIVEA promete combater a celulite e firmar a perna em quatro semanas. O produto também tem mentol para refrescar e ajudar a circulação nas pernas, reduzindo o inchaço e a sensação de cansaço.

anticelulite nivea pernas renovadas

Com textura leve e fácil de aplicar, ele ótimo para usar no verão pois seca rapidinho sem deixar aquele aspecto grudento. Depois da aplicação a pele fica geladinha por algum tempo e a sensação é realmente relaxante.
A hidratação é moderada, como a minha pele é bem ressecada nas pernas, senti falta de algo mais “encorpado”, mas deve funcionar bem para peles normais.

Estou usando o produto todos os dias há um mês e percebi uma melhora na aparência da celulite. Lembrando que combinei o uso do produto com exercícios físicos (musculação, yoga e caminhadas), alimentação equilibrada e muito líquido. Como já fazia tudo isso antes de começar a usar, realmente acredito que ele funcione.

nivea anticelulite pernas renovadas

A embalagem é pump, super prática e tem 400 ml. Com o uso diário, gastei metade do frasco em um mês.
O cheirinho é refrescante e suave, desaparecendo completamente em uma hora, então é ótimo para combinar com outras fragrâncias.

Você encontra o hidratante Pernas Renovadas Anticelulite NIVEA em farmácias, supermercados e lojas que vendem cosméticos. O preço médio é de R$30.

fev. 1, 2016
Tamy

Depois da tempestade

Se você não mora em Porto Alegre, provavelmente ficou sabendo pela TV ou internet que o apocalipse passou por aqui e nos ajudou a colocar em prática tudo aquilo que vemos em filmes e seriados sobre o fim do mundo (inclusive brigar por água no supermercado).

Os entendidos do assunto ainda não sabem dizer exatamente o que foi que nos atingiu, mas posso garantir – com a certeza de quem estava na rua no meio do temporal – que a coisa foi muito feia. Em minha passagem pela Avenida Ipiranga vi postes pegado fogo, fios e galhos caindo enquanto o carro balançava.

A tempestade deixou para trás um cenário assustador: a pracinha perto da minha casa – uma das regiões mais atingidas da cidade – deixou de existir. Todas as árvores caíram.
Só quando saí no sábado pude perceber como tive sorte de chegar em casa.

Falando em nela, com tanta chuva, parte da minha casa alagou, fiquei sem luz e sem água por 48 horas. E é sobre isso que vou falar hoje.

Porto Alegre, uma das capitais mais arborizadas do Brasil, está na rota das tempestades que vem do Uruguai e da Argentina. Como a fiação por aqui ainda depende de postes, quando o tempo fica feio já sabemos que o fornecimento de energia pode ser suspenso por algumas horas. Eu tenho um kit de emergência em casa: vela de 7 dias, acendedor para o fogão e no-break para salvar meus projetos a tempo. Nada que alcance a necessidade de 48 horas, mas dificilmente chegamos a tanto.

O que aconteceu nesse final de semana expôs algo que já é assunto há algum tempo, mas fazemos de conta que não acontece conosco: o vício em tecnologia. Nas redes, pessoas reclamavam que estavam sem internet (ignorando a situação da cidade, onde quase todos estavam sem luz), nos supermercados, que funcionavam com gerador, cada tomada era disputada entre zumbis com smartphones nas mãos.

Quando foi que deixamos nosso bom senso de lado priorizando a necessidade de estar conectado o tempo todo? Os hospitais estavam sem água, mas alguns só se preocupavam em conferir os looks das famosas no baile da Vogue.

A tecnologia é neutra: podemos usar para tornar a vida mais simples e prática ou para criar uma dependência a ponto de acharmos que reestabelecer a internet deveria ter prioridade em uma cidade arrasada pelo temporal.

Ficar desconectada por 48 horas foi positivo: saí na rua, conversei com meus vizinhos, tomei chimarrão na varanda apreciando o silêncio, terminei de ler um livro, limpei a cozinha e a parte que tinha sido inundada, podei algumas plantas, cozinhei (senão a comida estragaria no freezer). Fiz coisas que prometia e adiava há meses em apenas dois dias, ainda sobrou tempo para pensar na vida.

De onde tirei tanto tempo? Provavelmente do Instagram que não acompanhei, do Facebook onde não entrei e das redes que não conferi. Não quero dizer que eu ou você devamos nos desconectar para sempre, mas talvez não seja necessária tanta atualização assim.

Depois da tempestade, estou mais viva.

jan. 27, 2016
Tamy

Tatuagem com bambu na Tailândia

Sak Yant, é uma forma sagrada de tatuagem que evoca poderes místicos. São mantras e orações que trazem proteção. Apesar da origem indiana, foi na Tailândia que esse tipo de tatuagem se popularizou.
A tatuagem com bambu com a finalidade de proteção deve ser realizada por monges budistas em templos e para que funcione há cinco preceitos a serem seguidos: não matar, não roubar, não mentir, não ingerir álcool e não se intoxicar pela luxúria. Há desenhos específicos que só devem ser realizados na parte de cima do corpo. Um dos mais famosos é a tatuagem de Angelina Jolie.

Com a popularização desse tipo de tatuagem na Tailândia, muitos estúdios passaram a tatuar com bambu. Eu conhecia a técnica, mas nunca me interessei pelo assunto, porque brasileiros ~entendidos~ de tatuagem costumam falar que o traço fica grosseiro e sem precisão.

Tatuar na Tailândia? Ficou louca?

Tatuagem com bambu na Tailândia

Não tinha a intenção de fazer uma tatuagem quando viajei. Mas aconteceu de eu estar parada de bobeira esperando uma pessoa em Phi Phi Don quando o marido começou a conversar com um cara inglês em um estúdio (muitos estúdios tem um estrangeiro para fazer propagenda).

Fui ver qual era e ele mostrou o desenho feito no braço no dia anterior. O traço era lindo, detalhado, preciso e não havia casquinha ou irritação. Foi assim que me rendi à tatuagem tailandesa.

Como faltavam poucos dias para voltar ao Brasil e algumas economias estavam sobrando (!!!), pensei sobre o assunto e calculei que se ficasse dois dias comendo só 7 Eleven (que é tipo um AP PM só que muito barato), daria pra fazer a tatuagem.

Como é feita a tatuagem com bambu

Tatuagem com bambu na Tailândia

O estúdio que escolhi (Devil Pin Tattoo) faz tatuagens tanto com máquina quanto bambu. A agulha é a mesma e o material é descartável, tudo direitinho e limpinho. A diferença é que a maquininha barulhenta e irritante é substituída por um pedaço de bambu e o tatuador faz o traço ponto a ponto.

 

Dói muito?

Tatuagem com bambu na Tailândia

A tatuagem com bambu é quase indolor, em alguns pontos irritou um pouco mas nada próximo ao desenho usando a máquina. Dói menos que fazer a sobrancelha.
A pele não sangra como no processo comum e o processo de cicatrização é rápido e bem mais tranquilo. Meu desenho levou cerca de 4 horas para ficar pronto. O do marido que é grande e colorido levou quase 7 horas.

Cicatrização

Ao contrário da tatuagem comum, a tatuagem com bambu exige poucos cuidados. Não é preciso fazer curativo, nem proteger o local. A única recomendação é lavar pelo menos uma vez ao dia, passar vaselina e protetor solar caso vá se expor ao sol.
Horas depois de tatuada, a pele estava com aparência normal e parecia que o desenho estava ali há anos. Tomei banho de mar no mesmo dia e não tive problemas.
O melhor é que não ficam casquinhas e a irritação é mínima,

Meu desenho

Tatuagem com bambu na Tailândia

Queria escolher um desenho tradicional, mas como havia pesquisado sobre o significado da Sak Yant, achei que não seria o mais adequado para uma ocidental. Então vi alguns desenhos do tatuador e pedi a ele que adaptasse um dos que mais gostei para fazer entre os seios. O estilo de desenho é o que os tailandeses usam.

Minha tatuagem é uma flor de lótus, que no oriente significa a pureza do corpo e da mente, a pureza espiritual. Vi muitas pela Tailândia e pelo Camboja e me encantei.

A flor de lótus nasce na lama e seu caule se eleva, buscando a luz. A água lodosa
representa o apego e os desejos materiais, a flor é a busca pela luz, pela pureza e elevação espiritual. O botão significa as infinitas possibilidades de evolução espiritual do ser humano.

Embora eu não fale muito sobre espiritualidade por aqui, é um desenho que representa muito do que eu busco e acredito.

Páginas:1234567...531»

publicidade

Histórico de posts