maio 16, 2016
Tamy

Reflexão: seja você e permita que a outra seja quem ela quiser

“Seu corpo é do tipo maçã, pera, triângulo invertido ou ampulheta? Descubra quais as peças que você usar e quais precisa evitar para parecer magra e alta.”

Quantas vezes você já se deparou com um título como esse por aí e ficou tentando entender de que maneira um ser humano poderia ter um corpo em forma de maçã? Geralmente este tipo de texto vem acompanhado de uma listinha do que cada um deve usar e o que evitar. Alguns recomendam que só use tal peça se for com salto. Falando nele, quem aí já passou horas se equilibrando em um sapato que parece ter sido projetado por um torturador? Sofrimento que lembra a nova moda entre famosas e blogueiras, a arma secreta das Kardashian: cinta modeladora, parecidíssima com a que Maria Antonieta abandonou em 1780 e que meninas querem usar em 2016 para uma silhueta ~perfeita~ .

Amiga, abre o olho! Alguns veículos estão tentando nos convencer que – para ter valor – uma mulher deve ser “bela, recatada e do lar”  e essas pequenas loucuras em nome da beleza muitas vezes são fruto de alguém querendo determinar como você deve ser para se enquadrar no padrão. Só que esse papo furado não cola mais e muita gente já sacou que a mulher pode ser como ela quiser. Bela ou não, recatada ou não, gostando ou detestando as demandas domésticas. 

Repare na etiqueta de sua roupa, ela traz informações sobre a peça: tamanho, composição, fabricante e cuidados. Sabe o que não tem lá? Idade, tipo de corpo que você precisa ter para vestir tal peça e como você deve combinar. Porque, amiga leitora, embora tenha muita gente tentando lhe convencer do contrário, você é LIVRE para usar as peças que mais gostar, independente da sua idade, corpo, ocasião ou combinação.

Iris Apfel tem 94 anos e esbanja estilo

Claro que existe um dress code mais adequado para algumas situações como trabalho, eventos e etc. Mas sua imagem é uma maneira de comunicar quem você é para o mundo, e quem melhor que você para definir isso?

A moda caminha para a liberdade no vestir e no expressar. Você ficou sabendo do protesto de atrizes que desfilaram descalças no tapete vermelho em Cannes? Elas fizeram isso em defesa de mulheres que foram impedidas de entrar por não usar salto alto (entre elas, uma amputada!). Soube da polêmica história da garçonete que viu os pés sangrarem pois tinha que usar salto durante o expediente? Obrigar alguém a usar salto, independente da ocasião, é no mínimo um absurdo e nenhum dress code vai me convencer do contrário.

Ninguém deveria sair por aí se sentindo desconfortável e tem muita gente na indústria da moda que já notou isso. Percebeu que vai perder mercado se continuar produzindo para pessoas magras, da faixa etária X e que se enquadram em um determinado padrão. Nós não somos produzidas em série para seguirmos um padrão!

Ju Romano, um banho de autoestima e um exemplo para quem acha que plus size tem que usar manga morcego

Magá Moura, magavilhosa <3 adora usar tênis.

Hoje mulheres podem simplesmente vestir algo confortável, solto, sem sutiã, sem salto, sem cintura marcada e sair por aí bem pimponas. Nem todo mundo fica satisfeito e as críticas são tristes de se ler, mas se você tiver estômago, basta procurar os comentários em postagens com looks fora do usual.

Calma! Isso não significa que alguma feminista malvada quer queimar seu sutiã ou abolir vestidos com babados e cintura marcada. Ela só quer que você vista aquilo que te faz feliz e isso pode ser um vestido de princesa ou um moletom.

Chiara Ferragni é loura, alta e magra, mesmo assim o povo implica porque ela não usa sutiã, tem seios pequenos e é magra demais.

Amal Clooney viajou com look confortável, mas de acordo com os comentários ela é linda e precisa usar roupas que “valorizem” o corpo. Qual o valor que ela perdeu usando essa roupa?

Irmãs Olsen: tão jovens, com corpos “perfeitos”. Por que se vestem assim?
Porque elas querem! Elas se sentem bonitas e felizes assim. Respeita as mina! 😉

Não seria maravilhoso se vestir do jeito que gosta sem se deparar com olhares de reprovação? Taí algo que todo mundo quer.

Então não permita que alguém determine o tipo de roupa que você vai usar, sua depilação ou sua aparência. Faça as pazes com seu corpo, afinal, ele é o único que estará com você sempre.

Não há nada errado em querer ressaltar pontos fortes e esconder algo que não agrada. Só não caia na cilada de achar que uma revista, um blog ou alguma pessoa pode lhe impedir de usar aquela peça que você adora mas não é indicada para com seu “corpo maçã”.

Leandra Medine, mais conhecida como Man Repeller. Mas ela não se veste para agradar os homens e sim a si mesma. Quem você pretende agradar quando se veste?

E já que concordamos que deve ser ótimo viver sem olhares de reprovação, que tal parar de julgar a colega que não se veste do jeito que você acha adequado ou faz algo que te escandaliza?
Afinal, o que determina nosso valor como pessoas não é o que está por fora, né?!

Seja você e permita que a outra seja quem ela quiser. 😉

15 Comments

  • Bingo, Tamy! Como bem disse a Raíza Costa: padrões existem para serem quebrados. Tamy, eu só pondero uma coisa do seu texto. Na realidade, se pararmos pra pensar, as mulheres altas e magras é que são um nicho de mercado. Pouquíssimas são assim naturalmente. E isso é muito interessante para a indústria da beleza. Cria-se um mercado bilionário quando se diz que para ser bonita é preciso ser alta e magra. Muita gente ganha muita grana com dietas seca barriga, creme rejuvenescedor, sapatos de saltos altíssimos, tonalizantes, cintas que “criam” cintura e etc. É um padrão inalcançável para a maioria de nós, mas mesmo assim vamos gastar muito dinheiro para tentar chegar perto do que é ser “bonita”. É uma fonte sem fim de dinheiro para quem arquiteta esse mercado. Acredito muito num futuro pós-capitalista, em que vamos frear esse consumismo doido, onde a indústria da moda vai perder sentido, em que vamos nos livrar dos padrões, pensar mais no ambiente, no respeito a todos os seres sencientes…

    :*

  • Enquanto algumas por aí ficam te enfiando moda e regras goela a baixo, vc me vêm com esse texto lindo!
    Não sei nem oq dizer, só sentir! <3

    Obrigada por fazer da sua voz, o melhor discurso que poderíamos ouvir!!!

  • Texto incrível, Tamy! Pra mim, tu é uma grande referência em se vestir do jeito que se ama, sem precisar agradar ninguém além de ti mesma. Obrigada! <3

  • Uma tradução livre que cai bem com o post de hoje:

    “Eu gostaria de me desculpar por todas as mulheres que eu chamei de “bonitas”, antes de chamá-las de inteligentes ou corajosas.
    Me perdoe se eu fiz parecer que uma coisa tão simples quanto algo que já nasceu com você é o que você deveria ter mais orgulho, quando seu espiríto já enfrentou tantas coisas.
    De agora em diante, direi coisas como: “você é resiliente” ou “você é extraordinária”.
    Não porque eu não ache que você é bonita, mas porque eu acho que você é muito mais que isso.”
    Rupi Kaur

    • Que lindo! ???? vou dividir isso com o mundo! Obrigada por dividir comigo ?

      • É lindo mesmo…pfv divulgue sim! Vc é uma das mulheres que me inspiram. Bjosss

  • Obrigada ??

  • Perfeito! Bela reflexão

  • Nossa, ótimo texto! É assim mesmo, cada um sabe o que é melhor pra si e ninguém deveria vir dizer coisas ou dar conselhos que não foram pedidos, né? Bj

  • […] Reflexão: seja você e permita que a outra seja quem ela quiser. Um texto super pertinente da Tamy. Vou destacar o trecho que mais curti, mas indico demais que vocês leiam ele todo: “Repare na etiqueta de sua roupa, ela traz informações sobre a peça: tamanho, composição, fabricante e cuidados. Sabe o que não tem lá? Idade, tipo de corpo que você precisa ter para vestir tal peça e como você deve combinar. Porque, amiga leitora, embora tenha muita gente tentando lhe convencer do contrário, você é LIVRE para usar as peças que mais gostar, independente da sua idade, corpo, ocasião ou combinação.” […]

  • Tamy, amei esse texto. Ótima reflexão! Fujamos da padronização!

  • Oi Tamy!! Tudo bem? Faz tempo que eu não comento nada, mas sempre venho aqui espiar. Esses dias eu estava lembrando do primeiro post seu que li aqui no blog. Eu estava pesquisando sobre melissa no google e achei vc. Esse post me marcou porque você estava em Bombinhas e eu sempre ia para lá porque meus pais eram donos de uma pousada em 4 ilhas.
    Enfim, hoje localizei o post aqui no blog só para ver quanto tempo faz que visito o seu cantinho.
    http://www.derepentetamy.com/de-melissa-na-praia/
    Desde 18 de dezembro de 2009, muita coisa já passou! Me formei na faculdade, mudei de profissão, mudei de cidade, meus pais venderam a pousada, fiz blog, fechei o blog e eu continuo por aqui lendo suas dicas e vendo como você evoluiu. É muito bom ler seu material e ver que você continua sóbria e não virou mais uma deslumbrada pela fama e beleza. É muito bom ler sobre coisas “normais” que estão dentro da realidade da maioria das mortais. Este post de hoje é genial, parece simples para você porque tem muita personalidade, mas as pessoas tem que ler e cair na realidade que estão deixando de serem elas mesmas para viverem de aparências e padrões.

    Um beijo Tamy!

  • Arrasou no post! Agora fiquei pensando, o porque de nunca mais ter aparecido aqui! Bjs
    http://ofantasticomundodairis.blogspot.com.br

  • Postagem para encher a nossa alma! <3

  • […] Reflexão: seja você e permita que a outra seja quem ela quiser. Um texto super pertinente da Tamy. Vou destacar o trecho que mais curti, mas indico demais que vocês leiam ele todo: “Repare na etiqueta de sua roupa, ela traz informações sobre a peça: tamanho, composição, fabricante e cuidados. Sabe o que não tem lá? Idade, tipo de corpo que você precisa ter para vestir tal peça e como você deve combinar. Porque, amiga leitora, embora tenha muita gente tentando lhe convencer do contrário, você é LIVRE para usar as peças que mais gostar, independente da sua idade, corpo, ocasião ou combinação.” […]

Leave a comment

publicidade

Histórico de posts