Browsing articles in "Viagem"
nov 26, 2015
Tamy

Tailândia: Maya Bay, cenário do filme “A Praia”

Quando assisti o filme “A Praia” com um Leo DiCaprio magricelo e baby lá no início dos anos 2000, jamais imaginei que um dia transitaria pela caótica Bangkok e mergulharia na fantástica Maya Bay.

Nem posso dizer que um sonho se tornou realidade porque sou modesta nos meus sonhos e nem imaginava que existisse uma praia tão linda quanto a Maya Bay.

A água é dessa cor de verdade! E as rochas ficam douradas com a luz do sol eeeeee os plânctons brilham com o movimento à noite. Impossível descrever tanta beleza em palavras ou imagens.

A parte chata é que a Maya Bay é uma praia pequena para a curiosidade de tantos turistas, então conseguir fotos ou se movimentar é praticamente impossível durante o dia. Por isso optamos por um passeio de barco onde você pode ficar noite adentro na praia e dorme à bordo. Como só uma agência tem autorização para fazer isso, se você pensa em uma noite digna de cenário de filme, é bom agendar e pagar bem antes. 🙂

Esqueci de comentar sobre os milhões de peixinhos coloridos que nadam com a gente nessa água turquesa que chega a emocionar de tão linda, mas isso é assunto para outro post.

Por enquanto deixo um pouquinho do fim de tarde em “A Praia” e o barquinho onde passamos a noite ao relento e vi uma estrela cadente pela primeira vez (enquanto um japa roncava loucamente, mas isso é papo para outro post 😛 )

Essa luz é o nosso barquinho querido <3 com direito a luau em tailandês e baldinhos de bebida (eu achei que balde era figura de linguagem, mas eles realmente enchem um balde de bebida e tomam tudo. Como sou ingênua!).

O biquíni é Farm e comprei na liquidação. Já perdi as miçangas dele, mas o lugar era tão lindo que nem me revoltei com a péssima qualidade de algo tão caro hahaha.

Deixo vocês com o trailer de “A Praia” , agora posso garantir que a Tailândia parece bastante com o filme.

set 9, 2015
Tamy

Mulheres que viajam sozinhas são tema de bate-papo e inspiram coleção

Você morre de vontade de viajar pelo mundo mas não tem companhia?

Hoje rola um bate-papo superbacana sobre mulheres que viajam sozinhas na CI Intercâmbio e Viagens, mediado pelas meninas do projeto Empoderamento da Mulher.

O evento – que é aberto ao público – marca o lançamento da nova coleção da marca Céu Handmade. Intitulada Centroamerica, a ideia da coleção surgiu após o mochilão de Celina Spolaor pelo México, Guatemala, Nicarágua e Costa Rica em busca de tecidos, aviamentos e inspirações.

Celina – criadora da marca – busca inspirar mulheres que têm a vontade de conhecer o mundo, mostrando que nem sempre há a necessidade de uma companhia para isso. Após o lançamento, a marca terá uma pop up store no segundo piso da filial da CI nos três dias seguintes ao evento, com exposição e venda.

As roupas foram produzidas a partir de tecidos trazidos de diferentes lugares do mundo. Em materiais como sarja e algodão, as jaquetas, saias e vestidos femininos com modelagem simples, mas decoradas com tecidos, aviamentos e inspirações, mantendo identidade da Céu Handmade.

 

Vamos lá?

O que: Lançamento da coleção Céu Handmade com bate-papo sobre mulheres que viajam sozinhas
Onde: CI Intercâmbio (R. Padre Chagas, 80, Porto Alegre)
Quando: 09 de setembro de 2015
Horário: a partir das 19 horas
Mais informações no Facebook

set 3, 2015
Tamy

Dicas de economia para realizar o seu sonho

Sempre que viajo para algum lugar distante as pessoas costumam me perguntar se custou caro. Isso depende do que cada um considera caro. Quanto custa um sonho?

A verdade é que aprendi a economizar em itens que não me traziam tanta alegria para gastar naquilo que realmente traz felicidade. Levou um tempo, mas o método funcionou bem a longo prazo.

Não importa qual o seu sonho: viajar, fazer uma bela festa de casamento, comprar um carro ou uma casa. Economizar é o primeiro passo para realizar.

Capadócia

(Essa sou eu em 2014 vendo o nascer do sol de um balão na Capadócia, Turquia. Poderia dizer que foi o nascer do sol mais lindo que já vi, mas fico em dúvida porque em Machu Picchu foi emocionante também. Meu sonho é ter uma lista com vários lugares que me tiraram lágrimas e sorrisos ao nascer do sol e tiraram meu fôlego. Qual o seu sonho?)

Depois de lidar faturas que comiam quase todo o meu rendimento mensal, passei a me interessar e estudar o assunto. Agora divido algumas dicas que me ajudam a economizar e a gastar no que me faz feliz de verdade. Amo viajar, então meu exemplo será em diárias de hotel, mas para trazer as dicas para a sua realidade basta usar uma unidade de medida do seu sonho (parcelas da casa própria, itens do casamento, etc).

Preguiça é a uma grande inimiga da economia

Preguiça custa caro! Aquela preguicinha de caminhar algumas quadras acaba nos levando a estacionar no lugar mais caro ou pegar um táxi/ônibus. A longo prazo esses pequenos gastos podem somar quantias consideráveis. Tente mensurar esse valor em diárias de hotéis, almoços e outros gastos que envolvam seu sonho.
Vale mencionar que caminhar faz bem à saúde e ajuda a combater problemas como a celulite, então você também vai economizar em tratamentos estéticos e creminhos.

A preguiça de cozinhar também é vilã quando o assunto é economia. Alimentos preparados em casa são mais baratos e muitas vezes mais saudáveis. Você tem ideia de quantos pães caseiros é possível fazer com R$10? E o iogurte grego sem lactose (receita aqui), com o preço de um potinho você consegue fazer 1 litro! Deixar a preguiça de lado faz bem ao bolso e ao corpo. Trocar opções rápidas e fáceis como congelados e lanches custam menos e podem ser melhores para a saúde.

Machu Picchu

(Sol nascendo em Machu Picchu em 2013, fui uma das primeiras a entrar. Deixar a preguiça de lado e me alimentar melhor também me ajudaram a ter disposição para as longas caminhadas que as viagens exigem. Esse ano pretendo colocar mais lugares na minha lista. Visitarei o Camboja e a Tailândia)

Quanto você gasta com beleza?

Quantas diárias de hotel dá para pagar com um ano de manicure? E se somar a depilação?
Não costumo fazer as unhas em manicure porque não gosto de tirar a cutícula, então só empurro e pinto. Economiza tempo e dinheiro.
A depilação é uma escolha pessoal, mas dependendo da área que você gosta de depilar, dá para resolver com métodos caseiros.

Falando em gastos com beleza e outras coisinhas que mulheres adoram, passeios no shopping são um perigo! Principalmente quando bate a ansiedade ou a TPM. Shopping não é lugar para passear: você vai encontrar lugares melhores para tomar um café com as amigas ou um belo parque para caminhar. Shopping é um lugar para fazer compras, se você for até lá com outro objetivo, pode acabar gastando em algo que não precisava ou vai sair frustrada por não comprar algo que gostou.

Faça listas! Liste os itens que gostaria de comprar: roupas, calçados, acessórios e itens de beleza. Cruze sua lista com as peças que já possui e veja se é possível reduzir algo. Com ela em mãos (pode ser no celular) você conseguirá controlar melhor os impulsos consumistas e só vai comprar o que realmente deseja e combina com você.

Descadastre e-mails marketing e evite conferir novidades em lojas virtuais: todos os dias eu recebo e-mails de uma marca que adoro. Algumas vezes, além dos lançamentos, eles enviam cupons de desconto. Uma verdadeira tentação!
Se os e-mails e as lojas estão tentando te seduzir, controle-se!

Cuide da casa

Mantenha o armário organizado: organizar o armário dá uma visão clara do que você tem e isso ajuda a refletir se os itens da lista irão combinar com seu estilo e com seu acervo. Comprar uma peça incrível que vai precisar outras peças para combinar não é amor, é cilada!

Limpe sua própria privada: com a legislação trabalhista para empregados domésticos a vida de muitos brasileiros mudou e aos poucos nos aproximamos da realidade dos países desenvolvidos. Contratar alguém para limpar a casa custa cada vez mais caro e mesmo quem está disposto a pagar tem dificuldades em encontrar bons candidatos. Limpar a própria casa não é a treva e ajuda a economizar não só com diárias mas também em produtos de limpeza. Quando você faz faxina, sabe onde acumula coisas e acaba investindo o dinheiro de uma forma mais consciente.

De olho nas faturas

Confira sua fatura: aqui vale para gás, a água e todos aqueles itens do nosso dia a dia que podem fazer diferença no final do mês. Eu confiro todas as minhas faturas com cuidado e já tive muitas cobranças indevidas que foram regularizadas. Perdi as contas de quantas vezes minha conta no supermercado tinha itens a mais ou preços que não batiam com os divulgados.

Deixe o cartão de crédito em casa: já que estamos falando de faturas, não dá para esquecer do lobo em pele de cordeiro. O cartão de crédito é maravilhoso quando usado com sabedoria. Mas quem tem problemas com compras por impulso deve deixar o cartão em casa. Se o problema for mais grave e também acontece em compras online, aí o cartão deve ficar sob custódia de alguém de confiança (mães são ótimas para isso) e nada de salvar os dados no computador hein? Essa medida ajudou a baixar minha fatura em 90% (isso mesmo NOVENTA POR CENTO).

Essas são algumas técnicas que uso e funcionam bem no meu caso. O autoconhecimento é fundamental, ele ajuda a descobrir quais os comportamentos e hábitos que despertam o monstro gastador dentro de nós. Descoberta a causa, é mais fácil agir nas consequências.

Espero que esse texto lhe ajude e que você realize seus sonhos em breve! 🙂

jul 22, 2015
Tamy

Viagem: Turquia – parte 1

Construções milenares e belíssimas, praias de águas de um azul inexplicável, natureza de tirar o fôlego, beleza em cada detalhe, culinária deliciosa, povo acolhedor, tumbas esculpidas nas montanhas, teatros romanos, cidades submersas, cidades subterrâneas, castelos, histórias de reis, rainhas, sultões, apóstolos e profetas. Essa é Turquia, uma país misterioso e encantador entre a Europa e a Ásia, que mistura o moderno e o antigo, o oriental e o ocidental em um cenário inesquecível.

Post atualizado em 22/07/2015 = cotação R$1 = YTL 0,84 (liras turcas)

Levei cerca de 4 meses planejando a viagem para a Turquia e viajei sem agências ou pacotes. A viagem foi em setembro de 2014 e nos próximos posts contarei um pouco dos lugares por onde passei para aqueles que tem interesse em conhecer esse país que além de incrível, tem custos bem acessíveis.

Melhor época para viajar

A melhor época para conhecer a Turquia é na primavera (abril/maio) quando as cidades se enchem de tulipas  e no outono (setembro/outubro), épocas em que a temperatura é mais amena.

No inverno faz muito frio e até neva em algumas regiões. O verão é muito movimentado (e consequentemente mais caro), as praias ficam cheias de ingleses, alemães e russos (!).

O calor na Turquia é diferente do brasileiro, a baixa umidade exige muitos litros de água (e nenhuma ida ao pipiroom).

O fuso horário é 5 horas a mais que o Brasil e no horário de verão a diferença aumenta para 6 horas.

Passaporte, visto e vacinas

Para entrar na Turquia você precisa ter um passaporte com pelo menos 6 meses de validade. Brasileiros não precisam de visto nem de vacinas. Já no aeroporto você poderá perceber o quanto os turcos adoram brasileiros. Fazem piadas com o 7×1 da Alemanha e perguntam sobre futebol. <3

Dinheiro

A moeda oficial é a Lira Turca (Turkish Lira) que fica próxima de 1 para 1 com o real. Em Istambul há muitos lugares para trocar dinheiro, mas os melhores câmbios ficam no Grand Bazaar.

Uma frase muito ouvida na Turquia é “money is money“, eles aceitam qualquer moeda: dólar, euro e até real (!!!), a preferência é sempre dinheiro à cartões e o desconto é mais generoso.

Optei por levar dólar para a Turquia para fugir das taxas e foi uma boa escolha. Também levei cartão de crédito, mas usei bem pouco.

Segurança

Quando escolhi levar dinheiro vivo para uma viagem de 20 dias, fiquei com um pouco de receio e fui viajar com o “desconfiômetro” desrregulado pelos padrões brasileiros. Fiz algumas perguntas sobre segurança no hotel e para o guia e eles não compreendiam minha preocupação.

Depois de alguns dias entendi: assaltos e roubos são coisa rara. As pessoas deixam os pertences na beira da praia e ficam na água sem se preocupar. Em uma das praias o vendedor me deixou sozinha em uma loja de sapatos enquanto buscava o troco. Sozinha com o caixa e os produtos! Fui a várias lojas que vendem ouro, prata e pedras preciosas e os vendedores não só não se preocupavam em ver se eu estava roubando, quanto penduravam tudo no meu pescoço para ver “como fica bonito“.

A única questão importante sobre segurança é para as mulheres. Até onde soube não é muito seguro andar desacompanhada de homens, principalmente durante a noite. Há também um golpe comum com homens desacompanhados que são embebedados e roubados em bares.

O que vestir?

O que vestir em um país de maioria muçulmana? Fiquei muito preocupada com isso enquanto me preparava para a viagem. Procurei vestidos, biquínis e peças mais comportadas.

Percebi que a imagem que fazia de países islâmicos também estava distorcida, eles querem respeito mas também respeitam. Ao visitar mesquitas é necessário cobrir braços, pernas e a cabeça (se você não estiver vestida adequadamente, eles emprestam um lenço), mas o resto do tempo você pode se vestir normalmente.

Há mulheres com o lenço, algumas poucas usando burca (geralmente são as que vem de países com regimes extremistas) e muitas vestidas como ocidentais. Os homens mais tradicionais ficam ofendidos com vestidos e roupas muito curtas, vi alguns esbravejando. Em um mercadinho no litoral, um pai brigou com a filha pequena que estava me achando bonita (eu estava de short) 😛

Na praia mulheres nadam cobertas da cabeça aos pés ao lado de russas com piercing nos mamilos fazendo topless. É surreal.

Portanto minha dica é: tenha uma roupa longa para visitar lugares sagrados, compre um belo lenço de seda (que vai custar uns R$30) para cobrir a cabeça e pronto.

Celular e internet

Comprei um chip da Turkcell no aeroporto que custou cerca de R$30 com R$20 de internet. Usei bastante, principalmente com o Waze. Fiz uma recarga durante os 20 dias e deu tudo certo. Até sobraram alguns créditos.

Comprei no aeroporto porque tinha medo de não encontrar lugares onde falassem inglês para comprar e instalar o chip. Não foi bom negócio. Lá a coisa não é muito tabelada e vi que na rua estava bem mais barato. E a maioria das pessoas fala um pouco de inglês ou chama alguém que saiba falar.

Ter um celular com internet foi muito importante para me localizar e também para acessar o tradutor quando as pessoas só sabiam falar turco. Eu colocava no tradutor, eles escreviam e eu traduzia. 😀 Deu super certo.

Pacotes, agência de viagem, guias e idioma

Como viajante sem dinheiro que sou, não costumo contratar agências. Gosto de pesquisar muito sobre o local, montar roteiros, pesquisar hotéis e assim já ir sentido o clima. Na Turquia não foi diferente. Comprei as passagens usando o Submarino Viagens e encontrei os hotéis pelo Booking. (vou listar onde fiquei em cada local nos próximos posts).

Tivemos o suporte de um guia turco, o Lutfi que sugeriu lugares para visitar e nos acompanhou em Istambul. Ele também indicou uma guia em Éfeso, a querida Irem que adora já morou no Brasil, adora Tim Maia e tem ótimo português.

Há guias em todos os idiomas, alguns em português e espanhol. Tive um guia na Capadócia com um espanhol tão bom que cheguei a perguntar se era argentino, descobri que ele morou em Buenos Aires por um ano.

Como a Turquia é um país muito voltado ao turismo, é comum as pessoas viajarem para aprender idiomas. Nos lugares onde passei sempre havia alguém que falava inglês. E como não é o idioma nativo, eles falam em uma velocidade fácil para entender 😛

Pechinchar é a regra

Como escrevi no post sobre o Peru, não gosto de pechinchar. Mas na Turquia é uma prática comum no comércio. Vender é como uma conquista e eles usam de várias artimanhas para conseguir a compra: chás, presentes, bebidinhas e descontos, muuuuitos descontos. Não que os produtos sejam caros, mas eles geralmente podem custar a metade do preço inicial.

Isso vale apenas para compras, não funciona para hotéis e restaurantes, ok? 😛 Falando em restaurantes, é bacana deixar 10% de serviço.

Nos primeiros dias achei bem divertido levar horas para comprar uma niqueleira de 1 real. Depois fui me cansando e no final eu, Giane e Juliano (meu marido) criamos um truque para acelerar as negociações: ele ficava do lado de fora nos apressando. Uma de nós dizia que estava caro e apressava a outra para ir embora. Quando eles percebiam que iriam perder o cliente iam logo para o valor final 😀

Se você estiver viajando acompanhado, é bom fazer um “pacotão” com as lembrancinhas. Isso rende bons descontos. Nós somamos quantos olhos gregos precisaríamos (foram uns 30!) e compramos por um preço ótimo.

Seda, ouro, prata, especiarias, tapetes: tudo é barato e tem uma qualidade incrível. Vale a pena separar algumas economias para fazer compras, mas é proibido sair do país com antiguidades (por antiguidade leia: coisas de antes do Brasil ser descoberto 😛 ).

Meu roteiro

Finalizo esse texto com meu roteiro para que vocês já possam ter um gostinho dos próximos posts.

Istambul
Éfeso
• Pamukkale
Marmaris
Bodrum
Kas
Dalyan
Fethiye
• Demre
Antália
Capadócia

dez 22, 2014
Tamy

Look do dia na Turquia: pantalona cropped na Capadócia

O verão chegou e o calor está pegando, então achei interessante postar meu look no deserto. 😛

Mentira! Na verdade eu estou visitando minha mãe em SC e usando um look tão desinteressante que achei melhor buscar um look da Turquia para postar. Aproveito e ainda deixo vocês com algumas paisagens da Capadócia.

• Blusa Espaço Fashion
• Bermuda / pantalona cropped Zara
• Lenço, bolsa e colar da Turquia
• Sandália Farm
Páginas:«12345678»

publicidade

Histórico de posts