Browsing articles in "De repente 30"
jan 11, 2012
Tamy

De repente 30: Ligue agora (011) 1406

Primeiro De Repente 30 de 2012, vamos falar de coisa boa?
Vamos falar de iogurteira Top Therm!

Se você foi criança nos anos 90 – aquela época obscura em que não existia internet e todos viam muita TV – provavelmente você já sentiu vontade de comprar algum dos produtos do grupo Television anunciados na Rede Manchete. Ou sonhou com uma iogurteira Top Therm que o mito Aracy anuncia nos programas vespertinos desde a infância da humanidade.

Ah, como eu incomodei meu pai para ele comprar a iogurteira Top Therm! Mas ele não cedeu, sempre insistia que eu e meu irmão estávamos vendo TV demais. E ele tinha razão, é claro.

Continue reading »

dez 28, 2011
Tamy

Os 5 melhores “De Repente 30” de 2011

Hora de dar mais uma espiadinha no que relembramos em 2011! Selecionei os 5 melhores De repente 30 de 2011 baseada nos comentários dos posts. Qual seu favorito?

1. Carrossel: professora Helena, Laura, Cirilo e toda a turminha emocionaram as quase-trintonas que ficavam de olho na novelinha mexicana.

2. Made in Taiwan: batom verde que na boca dura 24 horas e fica vermelho, estojo automático com botões, bala que explode na boca e Barbie grávida. Quem nunca?

3. Kinder ovo com surpresa: a época em que Kinder custava menos de 1 real e tinha surpresas lindas!

4. Video games idosos: Nintendinho, Super Mario, Pac Man… do tempo em que passávamos horas nos divertindo com coisas que hoje parecem bobagem.

5. Cheetos é feito com queijo:  lembra quando Chettos tinha ratinhos como mascotes? Lembra dos tazos e das susto-partes da família Adams?

dez 1, 2011
Tamy

De repente 30: de repente?

Algum tempo atrás eu acordei e percebi que estava com quase 30 anos, mas lembrava de coisas que aconteceram há 20 anos como se fosse na semana passada. Entrei em crise, afinal durante “toda” a minha vida eu tinha a ideia de que pessoas de 30 eram sérias, maduras, tinham empregos estáveis e comiam coisas saudáveis (sempre nos horários certos) . Então me perguntei “o que tem de errado comigo?!”, afinal eu adoro videogame, sapatos e assisto reprises de Chapolin até hoje.

Continue reading »

nov 24, 2011
Tamy

De repente 30: Embarque nesse Carrossel

Se você – assim como eu – está beirando os 30 anos, certamente assistiu ao menos um capítulo da novelinha infantil Carrossel que passava no SBT depois de Chapolin e Chaves.

Como não se emocionar com o amor (rejeitado) de Cirilo por Maria Joaquina? Se empolgar com as aventuras da Patrulha Salvadora? Quem não desejava ter uma professora tão gente boa como a Professora Helena?

 

Continue reading »

set 9, 2011
Tamy

De repente 30: Made in Taiwan

A infância nos anos 90 foi agitada, com o governo de Fernando Collor (o presidente que “tinha aquilo roxo” segundo as próprias declarações) o Brasil foi aberto às importações e isso abalou profundamente a vida das crianças na época. Até então brinquedos e material escolar eram coisas caras, caríssimas! Quem estragava a mochila ou o estojo em março poderia passar o resto do ano assim. Além disso os brinquedos não eram lá essas coisas, só se viam bonecas bebêzinho que faziam xixi e jogos bobos. Um tédio.
Com a chegada dos Made in Taiwan e de seus vizinhos com olhos puxados muita coisa mudou na vida das crianças. Lembro que minha coleção de papéis de carta que antes só tinha bonequinhas românticas ganhou a companhia de uma gatinha sem boca chamada Hello Kitty, os pirulitos cobertos com açúcar da banquinha de revista dividiram espaço com balas em pó que explodem na boca e goma de mascar em metro como a da foto.

Como boa menina de 7 anos eu era preocupada em valorizar minha beleza e até então só dispunha do brilho labial de moranguinho (veja o post sobre a beauty dos anos 80) e do Neutrox. E a beauty infantil da época também mudou! Haviam os incríveis batons verdes e azuis que mudavam de cor quando aplicados e o melhor, duravam 24 horas!
Outra lembrança inesquecível eram os brincos adesivos, eles eram vendidos em cartelas como aquela da foto que inicia esse post. Algumas cartelas tinham 7 pares – um para cada dia da semana – outras tinham 30 e duravam o mês todo. Claro que depois que você usava, eles já não grudavam direito, então eu aplicava cola Tenaz ou durex para poder usar novamente.

Ir para a escola também se tornou mais divertido, apareceram as primeiras mochilas com rodinhas, as canetas de 10 cores e os estojos incríveis cheios de botões que abriram compartimentos. Como eu era uma criança muito ativa, gostava de usar a tampa para atirar borracha e outros objetos durante a aula e também usava a gavetinha do apontador para esconder cola na hora da prova. Claro que a professora descobriu essa estratégia rapidamente.

No post que fiz sobre a Barbie falei sobre como elas eram caras nos anos 90, na época não existiam versões com preços amigos como os que estão nas prateleiras hoje. Ter uma Barbie era um luxo para poucas! Mas com a chegada dos importados havia uma alternativa mais barata que a original e menos feia que aquelas bonecas cabeçudas, sardentas e de sombra azul. Eram as Barbies paraguaias! Algumas vinham com vários vestidos para você trocar, outras eram carecas e tinham várias perucas que permitiam a escolha do “cabelo do dia” mas sem dúvida as mais bizarras eram as grávidas. Elas eram barrigudas e era possível abrir suas barrigas e tirar o bebê. Assustador para dizer o mínimo.

O mais divertido era perguntar para os adultos o que era Taiwan e porque todas as coisas legais vinham de lá. Na minha cabeça, deveria ficar em algum lugar mágico, cheio de brinquedos maravilhosos, brincos adesivos, estojos com milhares de cores de canetinhas e muitos doces diferentes (todos com gosto de plástico). “Como devem ser felizes as crianças de Taiwan” pensava a pequena e ingênua Tamy.

Páginas:«1234567»

publicidade

Histórico de posts