Browsing articles in "Compras"
jul 16, 2014
Tamy

Cuidado com liquidações do tipo “tudo pela metade do dobro”

tudo pela metade do dobro

As liquidações de inverno estão por todo canto, nos shoppings, nas lojas de rua e principalmente na internet. As janelinhas piscantes tentam seduzir sussurrando “olha como estou barato” e muitas vezes nós acreditamos sem nos perguntar se precisamos do produto, se ele vai combinar com nosso estilo e principalmente: se ele está realmente barato.

Sou o tipo de pessoa que namora um produto e fica de olho, esperando o preço baixar (algumas vezes dou até um print na tela para lembrar o valor). Em meio a tantas promoções, percebi que algumas lojas adotaram as  práticas da Black Friday para a vida e estão fazendo “tudo pela metade do dobro“. Principalmente as marcas de sapatos famooooosas entre as top blogueiras. Então vale a pena ficar de olhos bem abertos para não pagar preços abusivos.

Confira algumas dicas:

• Cuidado com as compras por impulso, procure planejar o que você precisa comprar e quanto pretende pagar;
• Guarde prints dos produtos e comprovantes de pagamento;
• Verifique cuidadosamente o prazo de entrega, principalmente em clubes de compras (aqui vale colocar um lembrete no celular para o caso de passar do prazo);
• Confira a reputação da loja onde você está comprando no Reclame Aqui;
• Atenção para o “tudo pela metade do dobro”, pesquise o preço do produto em outras lojas antes de comprar. Ferramentas como o Buscapé ajudam a descobrir o preço original;
• Apesar dos descontos, o frete pode ser salgado, o transporte deve ser colocado na balança para verificar se a compra vale a pena;
• Evite comprar em lojas que só aceitem boleto bancário e/ou depósito em conta (pode ser golpe);
• O Procon/SP publicou uma lista de lojas não confiáveis, antes de pagar, verifique se a loja onde você está comprando aparece lá.

jul 3, 2014
Tamy

Taxa para despacho postal: mais uma taxa para encomendas internacionais

Taxa para despacho postal

Quem recebeu encomendas tributadas no último mês se deparou com um custo adicional. A Taxa para despacho postal no valor de R$12,00 passou a ser cobrada pelos Correios a partir de 02/06/2014 e todas as encomendas com Nota de Tributação Simplificada (importação de até US$500 com alíquota única de 60%) deverão pagar esta taxa.

De acordo com os Correios, a Taxa para Despacho Postal se refere ao desembaraço aduaneiro. Quem já comprou na Asos ou costuma receber encomendas internacionais por empresas como a Fedex já paga uma taxa parecida.

A novidade fica por conta do aviso de chegada da encomenda, que agora vem por telegrama (que emoção, o primeiro telegrama que recebo NA VIDA é imposto ¬¬ ) com um prazo para retirada apertadíssimo. Se você não fica de olho para retirar na data, pode acabar pagando multa.

Minha dica para quem gosta de comprar chinesinhos e afins é dar uma boa olhada neste post, acompanhar o rastreio do objeto (gosto de usar este aplicativo) e assim que ele chegar à agência, ligar para verificar o valor e retirar dentro do vencimento.

Vale ressaltar que só pagará esta taxa quem teve a encomenda tributada. Quem passou sem tributação fica isento da tal taxa 😉

Minha opinião

Como vocês sabem, opinião é igual _____ (complete a lacuna com a parte do corpo de sua preferência), cada um tem o seu/sua. Como este blog é meu, deixo registrada a minha opinião.

Não me importo de pagar taxas, acho justo e como sempre deixei claro aqui no blog, antes de comprar recomendo que cada um calcule qual seria o imposto no caso da encomenda ser tributada para então refletir se o custo vale a pena.

Mas esta nova taxa dos Correios me intriga (negativamente) pelo fato de cobrarem um tributo para algo que costumavam fazer gratuitamente e que agora – segundo eles – precisam cobrar porque a demanda cresceu 400%.

Eu ficaria SUPER MEGA SATISFEITA de pagar estes 12 reais se realmente houvesse um “desembaraço aduaneiro” eficiente. Só que esta encomenda levou 2 meses desde sua chegada ao Brasil, cadê o desembaraço? A Fedex cobra uma taxa maior, mas o pacote estaria na minha casa em no máximo uma semana. Veja bem, na minha casa, eu não preciso ir até uma agência, retirar senha e aguardar uma eternidade até ser atendida.

Além da demora, ainda há o telegrama truculento que chega na minha casa em um dia e dá 24 horas para eu ir buscar o pacote sem pagar multa. Posso estar enganada, mas parece um bom modo de conseguir uma graninha extra cobrando multa.

Encerro dizendo adoraria saber até que ponto esta cobrança é legal.

Confira também:

Verdade ou mito? Compras abaixo de 100 dólares não podem ser tributadas?

jun 10, 2014
Tamy

O que comprar na liquidação de inverno?

As liquidações estão começando cada vez mais cedo. Ótimo para quem precisa comprar roupas para o inverno que começa em breve! Mas sabemos que a moda está cada vez mais fast e fica a dúvida: qual o melhor investimento para seu rico dinheirinho?

Selecionei 5 itens que podem ser uma boa escolha e irão durar mais alguns invernos.

Calça Legging

Brasileiras adoram legging e as lojas estão cheias de opções, tem de veludo, com textura, com recortes, detalhes em couro e até paetês. Provavelmente você usará este tipo de calça no próximo inverno, mas vale tomar cuidado na escolha dos materiais. Paetês e recortes em tule são detalhes marcantes e você pode se cansar deles ou ter dificuldades em combinar, portanto só invista se tiver certeza e o preço compensar o risco.

Moletom

Os sites de streetstyle internacionais já trazem os moletons como destaque há muito tempo, mas só agora nós aderimos. É fácil encontrar moletons interessantes e com preços convidativos. No próximo inverno seu moletom estará lhe esperando, portanto cuidado com acabamentos e materiais na hora de escolher. Ao lavar, cada material requer cuidados especiais para aumentar a durabilidade, confira aqui e aqui.

Jaqueta

Mesmo nas cidades onde o frio não é tão rigoroso, uma jaqueta é uma boa opção. Ela pode ser usada com vestidos, saias, calça e short quando bate aquele ventinho gelado ou pode ser combinada com tricôs e cachecol quando o frio pega. A sobreposição de peças pode misturar seu moletom com a jaqueta em um visual moderno e confortável.

Ao escolher o material, tenha em mente que estampas são marcantes e dão personalidade ao look, mas também são mais difíceis de combinar. O couro fake de baixa qualidade se deteriora rapidamente com o uso (olha o custo x benefício!) e o jeans é um clássico.

Estampa

Você vai encontrar muitas estampas em liquidação: onças, xadrezes e até abacaxis. Estampas são sempre bem vindas, dão alegria e personalidade ao visual, mas também são marcantes e algumas vão se tornar cansativas quando o inverno passar (lembra das listras no ano passado?). O xadrez veio com força este ano, mas o abuso pode fazer com que ele chegue sem força ao próximo inverno. A oncinha já deixou de ser estampa para ser uma “cor”, provavelmente você verá ela por muito tempo.

Grafismos e estampas geométricas são uma boa aposta para quem quer uma estampa atemporal.

Bota over knee

Meu primeiro post sobre a bota que vai até a coxa foi em 2010. Quatro anos se passaram e ela finalmente ganhou espaço, conquistou quem ama saltos e quem gosta de rasteiras. Quanto mais simples a sua over knee, maior a chance de você continuar usando no próximo inverno, pérolas, correntes e brilhos podem enjoar ou ficar com aparência de velhos.

Só compre se tiver certeza

Cut over boots (bota com recortes)

Eu amo as botas com recortes, mas elas podem ser chatas de combinar e funcionam melhor com quem é adepta de um estilo rocker.
Veja inspirações para usar com as cut out boots clicando aqui.

 

Saia midi

A saia com comprimento abaixo dos joelhos é difícil de combinar e não funciona para alguns tipos físicos, mas também é charmosa. Se você encontrar a saia midi dos seus sonhos, tente fazer pelo menos 5 combinações dela com as peças do seu armário antes de levá-la para casa.

Body

Sou suspeita para falar do body, porque é uma moda que definitivamente não me ganhou. Antes de comprar seu body, prove e veja como você se sente, como se movimenta e se ele não marca em lugares indesejados. Não esqueça de considerar a dificuldade na hora de ir ao banheiro.

Para lembrar

Este não é um guia de certo e errado. Cada pessoa tem seu estilo e cabe refletir se a sua nova compra irá se adequar ao seu estilo ou não. Provar, testar e sempre pensar em pelo menos 5 combinações dentro do que você já tem no armário são sugestões que podem ajudar a comprar melhor.

abr 9, 2014
Tamy

5 dicas para comprar melhor

1. Se não ficou bem no manequim, dificilmente ficará bem em alguém que se mexe

anigif_enhanced-22015-1394737070-11

Você já parou para observar os manequins das lojas? Eles estão lá, parados em poses indefectíveis com suas medidas perfeitas.  Nada sobra, nada falta.

Se mesmo assim uma peça não vestiu bem o manequim, dificilmente ela irá funcionar em uma pessoa de verdade.

2. Combina comigo?

Mesmo que você não tenha um estilo 100% definido, provavelmente conhece seus limites e aquilo que agrada ou não. E o que você compra deve estar dentro do seu estilo, senão as possibilidades de ficar encalhado ou acabar na sacola de doações são enormes.

Além de combinar com você, a nova aquisição deve combinar com as outras peças do seu armário. Tente imaginar ao menos 3 looks em que sua compra se encaixaria.

Um alerta de que estamos fazendo uma compra perigosa é quando, além de estar ousando na escolha, ainda serão necessárias novas roupas/acessórios para combinar com ela. Isso é ruim? Nem sempre, afinal existem ocasiões especiais em que queremos ousar. Vale refletir se é esta é uma delas.

3. Vale o investimento?

Em tempos de fast fashions com regatas a R$8, é comum achar que “está muito barato” e sair comprando loucamente. Mas será este o melhor investimento?

Existem 2 fatores a se considerar:
• O quanto eu vou usar?
• Por quanto tempo eu vou usar?

Por exemplo, no ano passado tivemos a febre das calças com listras p&b. Haviam calças listradas de R$30 e calças listradas de $600. Pelas vitrines e o apelo em cima das listras, ficava claro que a moda duraria pouco. Neste caso, a melhor opção seria comprar a peça que veste melhor pelo menor preço.

Já um blazer bem cortado, com bom tecido e que vista bem pode custar um pouco mais caro, mas irá lhe acompanhar por muito mais tempo. Dependendo do modelo, é possível que ele veja até a volta triunfante da calça listrada (anos e anos depois). Permita-se gastar um pouco mais em peças que irão fazer a diferença e terão maior durabilidade. Afinal, algumas peças baratinhas estragam com 2 ou 3 lavagens e você não quer que isso aconteça com algo que você adora.

4. Tenho algo parecido?

Essa é para quem tem o armário da Mônica, cheio de vestidos que caem bem, com uma cor que favorece o visual. O problema é que parece estar vestindo a mesma coisa todos os dias.

Algumas vezes a gente gosta tanto de uma peça que acaba comprando várias parecidas e só se dá conta ao chegar em casa. Para evitar o armário da Mônica, procure pensar se já tem algo parecido.

5. Bora experimentar!

Provar roupas é sempre uma boa opção. Você descobre que aquela calça cara que você estava tentada a comprar veste mal ou que o casaquinho rejeitado na promoção é maravilhoso.

Pessoas tem corpos diferentes, por isso é preciso experimentar e avaliar sobre a possível aquisição. A roupa que ficou linda na sua amiga ou na sua blogueira favorita pode ficar feia em você (e vice-versa!).

Meu truque para economizar tempo é levar vários tamanhos para o provador quando não tenho certeza sobre qual vestirá melhor. Também gosto de levar possíveis combinações e imaginar como funcionará no meu armário.

Se você não tem tempo para provar, não compre. E deixe a preguiça de lado, afinal, é seu suado dinheirinho que será gasto.

fev 3, 2014
Tamy

Verdade ou mentira: compras internacionais abaixo de 100 dólares não podem ser tributadas?

Um dos maiores medos de quem faz compras internacionais são as taxas. Sou fã deste tipo de compra e sempre deixei claro que a tributação é uma regra e mesmo a famosa questão do “valor abaixo de US$50” é muito específica e a encomenda pode ser tributada.

Já escrevi alguns posts sobre isso aqui no blog, leia:
 Tutorial Paypal + guia de taxas em compras internacionais
Taxas em encomendas internacionais. Fui taxada? Como pagar? Quanto pagar?

Nos últimos dias, surgiram alguns posts que foram amplamente divulgados como “a salvação das nossas comprinhas” ou “o “fim da exploração pelo governo“. Um dos links mais divulgados foi este.

Pesquisando sobre o assunto, verifiquei que algumas pessoas realmente conseguiram a isenção do imposto depois de entrarem com ação em Juizado Especial. Porém na prática o processo não é tão simples, mover uma ação e depositar o valor do tributo em juízo.

É verdade ou mentira?

É verdade, Richie e mais alguns casos ganharam a causa. Mas os títulos dos posts dão a entender que é simples, rápido e fácil.

O processo consiste basicamente em:

1. Fazer um Pedido de Revisão de Imposto;
2. Entrar com a ação no Juizado Especial de sua cidade (não é necessário um advogado);
3. Depositar em Juízo o valor do imposto (*);
4. Aguardar e torcer (o tempo varia com o tribunal de sua região, mas pode chegar a 1 ano).

Como os Correios estabelecem um prazo para retirada do objeto, pode ser feita a “Antecipação de Tutela”, onde você faz um depósito judicial do valor do tributo e poderá retirar o objeto. Porém o valor só será restituído ao final do processo, caso seja considerado que você tem razão.

Você pode perder e se perder, talvez tenha alguns valores a pagar, como a armazenagem nos Correios.

Se eu entrar com uma ação, vou ganhar?

Como eu sou uma simples designer, resolvi pedir ajuda a quem entende: o amigo, blogueiro e Juiz do Trabalho, Jorge Alberto Araujo que também é fã de Deal Extreme e compras internacionais.

Ele fez um post excelente em seu blog, Direito e Trabalho, que vocês podem ler na íntegra clicando aqui. Reproduzo a parte que responde a questão sobre ganhar ou não.

O decreto-lei, ao permitir à autoridade tributária dispor sobre isenção fixou um “limite” ou um “teto” desta isenção a bens de até 100 dólares, não um “piso”; ou seja estabeleceu que a autoridade poderia, até o valor de 100 dólares, dispor sobre a isenção do imposto; o que não implica que não fosse possível estabelecer um limite inferior. Ou até mesmo não estabelecer isenção alguma.

O mesmo ocorre no que diz respeito à disciplinação dos remetentes dos produtos. O decreto-lei referiu, ao autorizar a isenção de impostos, que esta isenção apenas poderia ocorrer no caso de os destinatários serem pessoas físicas. Nada dispôs sobre o remetente. Ou seja igualmente criou uma limitação no que diria respeito ao destinatário – não se poderia isentar se o destinatário fosse pessoa jurídica – mas nada impede que a autoridade tributária, dentro dos limites que lhe permitiria o Decreto-Lei, estabelecesse outras condições no que diz respeito ao remetente, como por exemplo, ser este também pessoa física.

Ou seja se vale o conselho seria: não se entusiasmar demais em relação à isenção de até 100,00 dólares, em especial no momento econômico atual do Brasil, em que há uma preocupação acerca da evasão de divisas.

Concluindo

A cautela continua sendo uma ótima aliada na hora de fazer compras, principalmente as internacionais. Antes de comprar o ideal é verificar o valor do produto com tributos (geralmente em torno de 60%) e refletir se ele vale a pena mesmo assim.

Páginas:«1234567...12»

publicidade

Histórico de posts